By

Nossa Senhora do Rosário, o auxílio certo nas horas incertas

07 de Outubro de 2013

Memória de Nossa Senhora do Rosário

          A Santa Igreja, sendo guiada pelo Espírito Santo durante seus dois milênios de história, produziu diversos e abundantes frutos de devoção e manifestação de amor a Deus. Dentre esses frutos, destacaremos um dos mais belos e conhecidos na piedade católica, o Rosário de Nossa Senhora.

            Onde e quando surgiu essa afamada devoção?

            Corria o ano de 1214 e se alastrava na França uma terrível heresia sustentada pelos albigenses, que estava devastando a fé naquela região. Para combater essa chaga na Igreja de Jesus Cristo, um santo homem pregava a doutrina verdadeira e refutava os erros albigenses. Era o ardoroso São Domingos. Entretanto, vendo que seus esforços eram praticamente insuficientes, o santo se retira para uma floresta, onde passa três dias na mais profunda oração e penitência. Quando já estava quase sem forças, lhe aparece Nossa Senhora e entrega-lhe, em suas mãos, a arma com que iria vencer essa disputa, o Rosário.

            São Domingos dirige-se à catedral onde, subitamente, a natureza manifesta um terrível espetáculo de trovões, tremores e até o sol se velou. Após essa amostra do desgosto de Deus, devido à heresia daquele povo, São Domingos faz uma entusiasmada pregação sobre a excelência do Rosário, convertendo a grande parte dos fiéis que o ouviam.¹ Mais tarde, em 1571, a esquadra cristã vendo-se em grande perigo diante de uma arriscada batalha no golfo de Lepanto, recomenda-se ao auxílio da Santíssima Virgem através da recitação do Rosário, obtendo a vitória depois de um difícil combate. E no ano seguinte o Papa São Pio V institui esta comemoração em ação de graças pela vitória.

            Diante de tantos prodígios, poderia alguém hesitar em inserir esta devoção na sua vida? Diante de tantos problemas que nos rodeiam, poderíamos nós não recorrermos ao auxílio da Mãe daquele que tudo pode? Comecemos, então, a partir de hoje a seguir o conselho que Ela mesma deu em Fátima: “Se queres ter paz, reze o terço todos os dias”.

¹Cf. MONTFORT, São Luís Maria Grignion de. O Segredo admirável do Santíssimo Rosário. BAC, Madri, 1954.

Por Rodrigo Siqueira

By

O Santo Rosário – Parte 3

* Origem do Rosário

          No ano de 1214 — segundo narra o Bem-aventurado Alain de la Roche, em seu famoso livro intitulado De dignitate Psalterii — vendo São Domingos que os crimes dos homens criavam obstáculos à conversão dos albigenses, entrou num bosque de Toulouse e nele passou três dias e três noites em contínua oração e penitência, não cessando de gemer, de chorar e de macerar o seu corpo com disciplinas para acalmar a cólera de Deus até cair meio morto. Nesse momento, a Santíssima Virgem, acompanhada de três princesas do Céu, lhe apareceu e disse: “Sabes tu, meu querido Domingos, de que arma se serviu a Santíssima Trindade para reformar o mundo?” Ó Senhora! respondeu ele, Vós o sabeis melhor que eu, porque depois de vosso Filho, Jesus Cristo, fostes o principal instrumento de nossa Salvação. Ela acrescentou: “Sabei que a peça principal da bateria foi a saudação angélica, que é o fundamento do Novo Testamento; e portanto, se queres ganhar para Deus esses corações endurecidos, reza meu saltério”.

         O Santo levantou-se muito consolado e abrasado de zelo pelo bem destes povos, entrou na Catedral; no mesmo instante os sinos repicaram, pela ação dos anjos, para reunir os habitantes, e ao começar a pregação desatou-se uma espantosa tormenta; a terra tremeu, o sol se velou, os repetidos trovões e relâmpagos fizeram estremecer e empalidecer os ouvintes; e aumentou ainda o seu terror ao ver uma imagem da Santíssima Virgem, exposta em lugar eminente, levantar os braços três vezes ao Céu para pedir a Deus vingança contra eles se não se convertessem e recorressem à proteção da Santa Mãe de Deus.

          O Céu queria por meio destes prodígios aumentar a nova devoção do santo Rosário e fazê-la mais notória. A tormenta cessou por fim, pelas orações de São Domingos. Continuou ele seu discurso e explicou com tanto fervor e entusiasmo a excelência do Rosário, que os habitantes de Toulouse o abraçaram quase todos, renunciando a seus erros, vendo-se em pouco tempo uma grande mudança na vida e nos costumes da cidade.

 

* Um sermão sobre o Rosário recebido por São Domingos das próprias mãos de Nossa Senhora

Continua no próximo post…