By

Em Paudalho (PE), tríduo a Nossa Senhora do Rosário

6 de outubro de 2015

AER_2267

Na simpática cidade de Paudalho, os Arautos do Evangelho foram convidados para o último dia do tríduo de Nossa Senhora do Rosário, celebrado na Capela de Nossa Senhora do Rosário, erigida pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. Tal confraria remonta ao período colonial, datando de 1778.
Celebrou a Santa Missa o Pe. Célio Casale, EP, estando também os Arautos do Evangelho responsáveis pelos cânticos litúrgicos.
A imagem peregrina do Imaculado Coração de Maria foi levada à capela, sendo muito venerada pelos fiéis, que dela se aproximavam para fazerem seus pedidos, ou para tirarem fotografias.

By

Nossa Senhora do Rosário e o milagre de Hiroshima

No dia 7 de outubro, os fiéis católicos de todo o orbe comemoram a festa de Nossa Senhora do Rosário. Essa devoção Maria Santíssima a revelou ao grande São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Dominicanos.

Sempre que os homens o utilizam, tudo floresce na Igreja, na terra passa a reinar a paz, as famílias vivem em concórdia e os corações são abrasados de amor a Deus e ao próximo. Quando dele se esquecem, as desgraças se multiplicam, implanta-se a discórdia nos lares, o caos se estabelece no mundo…

Em Fátima, na sua última aparição, Nossa Senhora disse às três crianças: ” … Continuem a recitar o Rosário todos os dias em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz no mundo e o fim da guerra…”

Conheça mais sobre a história de Nossa Senhora do Rosário.

Dentre os inúmeros milagres obtidos pela intercessão da Santíssima Virgem através da recitação do Rosário, destacamos um, documentado por inúmeras testemunhas.

Hiroshima depois da bomba - Foto: Domínio público

Hiroshima depois da bomba – Foto: Domínio público

VATICANO, 06 Ago. 15 / 03:40 pm (ACI).- Há 70 anos aconteceu a explosão da bomba atômica em Hiroshima, um dos episódios mais dramáticos na história da humanidade. No dia 6 de agosto de 1945, festa da Transfiguração, muito perto de onde caiu a bomba “Little Boy”, quatro sacerdotes jesuítas alemães sobreviveram a esta catástrofe e a radiação – que matou milhares de pessoas nos meses seguintes – não causou nenhum efeito neles. Esta história, documentada por historiadores e médicos, é conhecida como o Milagre de Hiroshima.

Os jesuítas Hugo Lassalle, superior no Japão, Hubert Schiffer, Wilhelm Kleinsorge e Hubert Cieslik, estavam na casa paroquial da Igreja jesuíta de Nossa Senhora da Assunção, em um dos poucos edifícios que resistiu à bomba. No momento da explosão, um dos jesuítas estava celebrando a Eucaristia, outro tomando café da manhã e o outros estavam nos arredores da paróquia.

Conforme escreveu o Pe. Hubert Cieslik em um jornal, somente sofreram pequenos ferimentos por causa de cristais quebrados, mas nenhum efeito da radiação, nenhuma perda de audição, nem qualquer outro dano.

Os médicos que atenderam os jesuítas, alguns dias após a explosão da bomba, lhes advertiram que a radiação recebida lhes causaria lesões graves, assim como doenças e inclusive uma morte prematura.

Mas, este prognóstico nunca aconteceu. Não desenvolveram nenhum transtorno e em 1976, exatamente 31 anos após a explosão da bomba, o Pe. Schiffer foi ao Congresso Eucarístico na Filadélfia, relatou sua história e disse que os quatro jesuítas ainda estavam vivos e sem nenhuma doença. Foram examinados por dezenas de doutores cerca de 200 vezes ao longo dos anos seguintes e nunca encontraram em seus corpos qualquer consequência da radiação.

Os quatro religiosos nunca duvidaram de que tinham gozado da proteção divina e, em particular, da Virgem: “Nós acreditamos que sobrevivemos porque estávamos vivendo a Mensagem de Fátima. Nós vivíamos e rezávamos o Rosário diariamente naquela casa”, explicaram.

O Pe. Schiffer escreveu “O Rosário de Hiroshima”, um livro por meio do qual relata tudo o que ele vivenciou.

Em Hiroshima e Nagasaki morreram cerca de 246 mil pessoas, a metade faleceu no momento do impacto e o resto das pessoas algumas semanas depois pelos efeitos da radiação. A bomba de Hiroshima coincidiu com a solenidade da Transfiguração do Senhor e a rendição do Japão ocorreu no dia 15 de agosto, solenidade da Assunção da Virgem Maria.

By

Nossa Senhora do Rosário, o auxílio certo nas horas incertas

07 de Outubro de 2013

Memória de Nossa Senhora do Rosário

          A Santa Igreja, sendo guiada pelo Espírito Santo durante seus dois milênios de história, produziu diversos e abundantes frutos de devoção e manifestação de amor a Deus. Dentre esses frutos, destacaremos um dos mais belos e conhecidos na piedade católica, o Rosário de Nossa Senhora.

            Onde e quando surgiu essa afamada devoção?

            Corria o ano de 1214 e se alastrava na França uma terrível heresia sustentada pelos albigenses, que estava devastando a fé naquela região. Para combater essa chaga na Igreja de Jesus Cristo, um santo homem pregava a doutrina verdadeira e refutava os erros albigenses. Era o ardoroso São Domingos. Entretanto, vendo que seus esforços eram praticamente insuficientes, o santo se retira para uma floresta, onde passa três dias na mais profunda oração e penitência. Quando já estava quase sem forças, lhe aparece Nossa Senhora e entrega-lhe, em suas mãos, a arma com que iria vencer essa disputa, o Rosário.

            São Domingos dirige-se à catedral onde, subitamente, a natureza manifesta um terrível espetáculo de trovões, tremores e até o sol se velou. Após essa amostra do desgosto de Deus, devido à heresia daquele povo, São Domingos faz uma entusiasmada pregação sobre a excelência do Rosário, convertendo a grande parte dos fiéis que o ouviam.¹ Mais tarde, em 1571, a esquadra cristã vendo-se em grande perigo diante de uma arriscada batalha no golfo de Lepanto, recomenda-se ao auxílio da Santíssima Virgem através da recitação do Rosário, obtendo a vitória depois de um difícil combate. E no ano seguinte o Papa São Pio V institui esta comemoração em ação de graças pela vitória.

            Diante de tantos prodígios, poderia alguém hesitar em inserir esta devoção na sua vida? Diante de tantos problemas que nos rodeiam, poderíamos nós não recorrermos ao auxílio da Mãe daquele que tudo pode? Comecemos, então, a partir de hoje a seguir o conselho que Ela mesma deu em Fátima: “Se queres ter paz, reze o terço todos os dias”.

¹Cf. MONTFORT, São Luís Maria Grignion de. O Segredo admirável do Santíssimo Rosário. BAC, Madri, 1954.

Por Rodrigo Siqueira