By

O Santo Padre convida a “superar o analfabetismo religioso” – “um dos grandes problemas de hoje”

A paróquia é “um lugar onde se aprende a viver a própria fé em meio aos outros”, lembrou Bento XVI na ocasião da visita pastoral à paróquia romana de São João Batista de La Salle al Torrino, na parte sul da cidade.

Na proximidade do Ano da Fé, o Papa convidou os fiéis a “fazer crescer e consolidar a experiência da catequese sobre as grandes verdades da fé cristã, e superar o ‘analfabetismo religioso’ que é um dos maiores problemas de hoje”.

Por causa da viagem ao México e a Cuba, a tradicional visita a uma das paróquias romanas no domingo “Laetare” (quarto domingo da Quaresma) , foi organizada para este segundo domingo, quando o Papa visitou os fiéis da paróquia de São João Batista de La Salle al Torrino.

Bento XVI segue, assim, a tradição de fazer visitas às paróquias romanas duas vezes por ano, na Quaresma e no Advento.

Em sua chegada o pontífice foi recebido com grande simpatia, afeto e calor.

papa-13.jpg
Bento XVI durante missa na paróquia romana
de São João Batista de La Salle al Torrino

Antes de entrar na Igreja para celebrar a Missa, ele saudou pessoalmente as crianças em cadeiras de roda que o esperavam. Os inúmeros fiéis que não puderam entrar na igreja, acompanharam ao vivo a missa no telão montado para esta ocasião.

“Obrigado por esta recepção calorosa, por este espírito de familiaridade que sinto, por isto me fazer sentir como um pai: isto me dá coragem!”, agradeceu o Papa.

A visita iniciou com uma saudação do pároco, Don Giampaolo Perugini, que presenteou o Santo Padre com uma camiseta do oratório, um círio pascal pintado pelo vigário Don Hiroto Tanaka, e um livreto com cartas e desenhos das crianças.

Na homilia, pronunciada improvisadamente, Bento XVI explicou o sentido das leituras do segundo Domingo de Quaresma e dirigiu palavras diretas e cordiais também à paróquia, recordando que ela deve ser “um lugar onde se aprende a viver a própria fé em meio a “nós” da Igreja.”

Comentando a história de Abraão, o Papa afirmou que “Deus não quer a morte, mas a vida”, mas doou o próprio Filho “para vencer o pecado e a morte, e para superar toda a ameaça que existe no mundo”. Graças a este dom de Jesus, “ninguém poderá nos acusar, ninguém poderá nos condenar, ninguém poderá nos separar de seu imenso amor”.

Em seguida, tratando da Transfiguração de Jesus, o Santo Padre observou que aqui se encontra o exemplo para nos fazer entender que ” o caminho para alcançar a glória, o caminho do amor luminoso que vence as trevas do mal, passa através do dom total de si mesmo, passa através do escândalo da Cruz”.

Porque “um mistério de sofrimento” é também “a beata paixão” de “um mistério de amor extraordinário de Deus” do qual “temos necessidade no nosso caminho cotidiano, com frequência assinalado também pela escuridão do mal!”

A paróquia de São João Batista de La Salle al Torrino de Roma foi “colocada no ponto mais alta do bairro”, observou o Papa, notando que “é uma indicação importante” de que nós também “precisamos subir ao monte da transfiguração para receber a luz de Deus”.

Bento XVI indicou também uma proposta pastoral concreta, convidando a viver o próximo Ano da Fé no aprofundamento da catequese para “superar o analfabetismo religioso”.

Às numerosas famílias presentes na paróquia, o Papa pediu para serem “o ambiente de vida no qual se movem os primeiros passos de fé” e uma “comunidade na qual se aprende a conhecer e a amar cada vez mais o Senhor”.

Fonte: Gaudium Press

Por favor, deixe um comentário