By

Em Recife, 59 pessoas se consagram a Nossa Senhora

9 de junho de 2018

Na memória litúrgica do Imaculado Coração de Maria, 59 fiéis se consagraram a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria, segundo o método de São Luís Grignion de Montfort.

O ato de consagração deu-se durante a Santa Missa celebrada pelo Pe. Christian Durães, EP, na sede dos Arautos do Evangelho.

O Imaculado Coração de Maria  é o puríssimo escrínio no qual encontramos o próprio Coração de Jesus. Ao coração da mãe correspondem especialmente a bondade, a generosidade e a indulgência, porque as boas mães são mais levadas a isso pelo seu modo de ser. Assim, o Coração Imaculado de Maria é a máxima representação de todo esse afeto e doçura maternos para conosco, num grau inimaginável, como ninguém teve! Mas seu Coração é sobretudo a Sede da Sabedoria, uma virtude atinente não só à inteligência, mas também à vontade. Então, o Coração Sapiencial é o coração que quer, que deseja e que ama tudo de acordo com a fé, a reta razão e o bom senso. (Editorial, Revista Arautos do Evangelho, Junho 2018)

By

Em Recife, 69 pessoas se consagraram a Nossa Senhora

8 de dezembro de 2017

Consagração a Nossa Senhora - Arautos do Evangelho - Recife - Dezembro 2017

Na solenidade da Imaculada Conceição, sessenta e nove fiéis realizaram sua Consagração como “escravos de amor” a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria, segundo o método de São Luís Grignion de Montfort.

O fundamento dessa consagração nas mãos de Maria Santíssima é a mediação. Da mesma forma que em uma corrente os elos, unindo-se uns aos outros, ligam os extremos entre si, assim também aqueles que se distinguem por sua maior proximidade com Deus, fazendo papel de intermediários, nos aproximam d’Ele de modo mais fácil, rápido e seguro do que se tentássemos chegar sozinhos e diretamente.

Maria Santíssima é o modelo arquetípico desta realidade. Não apenas pelo fato de Ela ser, por determinação divina, a Medianeira da humanidade junto a Deus e a despenseira dos favores celestes aos homens, mas também por ter Ela mesma inaugurado a via espiritual da escravidão de amor, entregando-Se por inteiro para seguir os insondáveis desígnios de seu Criador.

Após a recitação da fórmula da Consagração, cada um dos novos consagrados dirigiu-se à imagem de Nossa Senhora e rezou a oração: “Ó minha Mãe e Senhora, sou todo vosso e todo o que tenho Vos pertence”.

By

Servitudo liberabit vos

27 de Novembro de 2017

No dia de Nossa Senhora das Graças, onze jovens fizeram sua Consagração a Jesus, pelas mãos de Maria, segundo o método de São Luís Grignion de Montfort.

Como explica o santo em seu “Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem”, tal entrega nas mãos de Maria como “escravo de amor” consiste na forma mais perfeita do fiel se assemelhar a Jesus Cristo. Ao contrário do que prega o mundo moderno, impregnado de opressivo liberalismo, a alegria é a nota característica de quem, seguindo as pegadas de Maria, abraça sinceramente esta “sagrada escravidão”, pois não basta fazer a Deus oferendas e sacrifícios: Ele quer que se dê de coração, sem constrangimento, com alegria e entusiasmo. Feito isto, copiosas graças são derramadas sobre todas as almas que escolhem viver assim, pois Ele nunca Se deixa vencer em generosidade.

O ato de Consagração deu-se durante a Santa Missa celebrada pelo Pe. Mário Beccar, EP na sede dos Arautos do Evangelho em Recife. Após a recitação da “Consagração de si mesmo a Jesus Cristo, a Sabedoria Eterna e Encarnada, pelas mãos de Maria”, cada um dos consagrados dirigiu-se à imagem de Nossa Senhora e, tendo em suas mãos uma corrente que pendia das mãos de imagem, rezou a oração: “O minha Mãe e Senhora, sou todo vosso e tudo o que tenho Vos pertence”. Os pais acompanharam seus filhos nesse importante ato, ajudando também a colocar a corrente e o terço característicos do hábito dos Arautos do Evangelho.

By

Cinquenta e oito fiéis se consagram a Jesus pelas mãos de Maria

10 de junho de 2017

Em Missa celebrada na sede dos Arautos do Evangelho em Recife, cinquenta e oito fiéis realizaram sua consagração a Jesus pelas mãos de Maria, segundo o método de São Luís Grignion de Montfort.

Após a homilia, os neo-consagrandos rezaram a fórmula da consagração. Em seguida, aproximaram-se da imagem de Nossa Senhora e, colocando no pescoço uma corrente dourada que pendia das mãos da imagem, rezaram “Ó minha Senhora e minha Mãe, sou todo vosso e tudo o que tenho Vos pertence”

“São Luís Grignion de Montfort fez lindíssimas previsões sobre uma fase histórica toda dedicada a Maria, por meio da qual se instauraria o verdadeiro reinado de Cristo. Mas seus contemporâneos não lhe deram crédito, ficando sua figura muito tempo relegada ao esquecimento.

Na atualidade, o crescente número de devotos de São Luís Grignion parece ser muito significativo da iminência de grandes acontecimentos. Com efeito, como sói acontecer com as profecias, os sinais se multiplicam na medida da proximidade
de sua realização.

Este sintoma talvez não seja alheio ao fato de estarmos no centésimo aniversário das aparições da Virgem Santíssima na Cova da Iria. Haverá alguma íntima relação entre a devoção pregada por São Luís Grignion e os acontecimentos prenunciados em Fátima, entre estes o triunfo do Imaculado Coração de Maria? Tudo leva a crer que sim, pois em ambos os casos se prognostica o estabelecimento do Reino de Nossa Senhora sobre a terra e os corações, algo que constitui por certo uma constante nas profecias, entre as quais devemos contar o Pai-Nosso: com efeito, uma oração ditada pelo próprio Deus só pode ser uma promessa de realização.” (Revista Arautos do Evangelho, 184 – Abr 2017. Editorial)