By

Presépio Som, Luz e Movimento

15 de novembro de 2019

O Presépio Som, Luz e Movimento dos Arautos do Evangelho será inaugurado no dia 17 de novembro e irá até o dia 05 de janeiro de 2020. Não perca essa oportunidade de ver e ouvir a belíssima história do nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo. Venha com sua família e amigos. A partir de 17 de novembro, aos sábados e domingos, das 15:00 às 21:00 (sessões de 25 minutos).

Endereço: Estrada Real do Poço, 191 – Casa Forte (Poço da Panela) – Recife. No Waze: Associação Arautos do Evangelho – Recife.⠀

Agendamento de Terça a Domingo para grupos (visitas escolares, turmas de catequese, etc): (81) 3268-8018 /9.9296-7406 ou pelo email: [email protected]

By

Grupos de Catequese visitam o Presépio dos Arautos

Nos meses de novembro e dezembro muitos grupos de catequese visitaram o Presépio “Som, Luz e Movimento” montado pelos Arautos do Evangelho.

Enquanto as luzes se acendem e as peças se movimentam, a narração conta a história do nascimento do Jesus, bem como um resumo de sua vida, Paixão e Ressurreição.

Inúmeros foram os testemunhos, tanto da parte dos catequistas, como das crianças e seus familiares, sobre os frutos colhidos com esse instrumento de evangelização.

Seguem as fotos de alguns dos grupos que visitaram o Presépio no ano de 2017.

As apresentações do Presépio “Som, Luz e Movimento” seguem até o dia 7 de janeiro, domingo em que a Igreja no Brasil celebra a Epifania do Senhor. As apresentações são os sábados e domingos, no horário entre 15 e 21 horas. Cada seção tem a duração de 25 minutos.

By

Dom Fernando Saburido visita os Arautos

29 de novembro de 2015

AER_4233

Os Arautos do Evangelho tiveram a alegria de receber em sua sede a visita de Dom Antônio Fernando Saburido, Arcebispo de Olinda e Recife.

O Arcebispo presidiu a Missa do Primeiro Domingo do Advento, abrindo assim de forma solene o novo ano litúrgico. Em sua homilia destacou as duas vindas de Cristo, mencionadas na segunda leitura do Ofício divino desse dia. Lembrou também que existe uma terceira vinda de Cristo, entre a primeira e a segunda, e que se dá de forma discreta, todos os dias de nossa vida e para a qual precisamos estar sempre atentos.

Após a Missa, Dom Fernando assistiu e abençoou o Presépio Som, Luz e Movimento, que é montado todos os anos pelos Arautos do Evangelho. Também assistiu à apresentação das crianças do Apostolado Infantil, que realizaram uma “feira de conhecimentos” sobre os sete Sacramentos.

By

As três vindas de Jesus

29 de Dezembro de 2014

    No dia 25 de Dezembro comemoramos uma das principais festas da liturgia, a vinda do

Primeira vinda de Jesus

Redentor ao mundo. Sabemos que Ele veio realmente e foi reclinada numa manjedoura, tendo como companhia sua Mãe, Maria Santíssima ao lado de seu castíssimo esposo, São José. Temos bem presente que Ele ainda há de vir a julgar os vivos e os mortes nos últimos tempos. Além destas duas vindas, existe uma terceira; intermediária entre elas. Eis como nos explica o grande santo mariano, São Bernardo de Claraval:

    “Conhecemos uma tríplice vinda do Senhor. Entre a primeira e a última há uma vinda intermediária. Aquelas são visíveis, mas esta, não. Na primeira vinda o Senhor apareceu na terra e conviveu com os homens. Foi então, como ele próprio declara, que viram-no e não o quiseram receber. Na última, todo homem verá a salvação de Deus (Lc 3,6) e olharão para aquele que transpassaram (Zc 12,10). A vinda intermediária é oculta e nela somente os eleitos o vêem em si mesmo e recebem a salvação. Na primeira, o Senhor veio na fraqueza da carne; na intermediária, vem espiritualmente manifestando o poder de sua graça; na última, virá com todo o esplendor da sua glória.

    “Esta vinda intermediária é, portanto, como um caminho que conduz da primeira à última; na primeira, Cristo foi nossa Redenção; na última, aparecerá como nossa vida; na intermediária, é nosso repouso e consolação.

Última vinda de Jesus

    “Mas, para que ninguém pense que é pura invenção o que dissemos sobre esta vinda intermediária, ouvi o próprio Senhor: Se alguém me ama, guardará minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos a ele (cf. Jo 14,23). Lê-se também noutro lugar: Quem teme a Deus, faz o bem (Eclo 15,1). Mas vejo que se diz algo mais sobre o que ama a Deus, porque guardará suas palavras. Onde devem ser guardadas? Sem dúvida alguma no coração, como diz o profeta: Conservei no coração vossas palavras, a fim de que eu não peque contra vós (Sl 118,11).

    “Guarda, pois, a palavra de Deus, porque são felizes os que a guardam; guarda-a de tal modo que ela entre no mais íntimo de tua alma e penetre em todos os teus sentimentos e costumes. Alimenta-te deste bem e tua alma se deleitará na fartura. Não esqueças de comer o teu pão para que teu coração não desfaleça, mas que tua alma se sacie com este alimento saboroso.

    “Se assim guardares a palavra de Deus, certamente ela te guardará. Virá a ti o Filho em companhia do Pai, virá o grande Profeta que renovará Jerusalém e fará novas todas as coisas. Graças a essa vinda, como já refletimos a imagem do homem terrestre, assim também refletiremos a imagem do homem celeste (1Cor 15,49). Assim como o primeiro Adão contagiou toda humanidade e atingiu o homem todo, assim agora é preciso que Cristo seja o Senhor do homem todo, porque ele o criou, redimiu e o glorificará.”

    Nesta oitava de Natal – em que ainda sentimos misticamente as graças sensíveis desta primeira vinda –  imploremos a Deus, aos rogos de Nossa Senhora e São José, para que Jesus vindo uma segunda vez não encontre as portas do nosso coração fechadas.

Fonte: Dos Sermões de São Bernardo, abade In: Sermo 5, 1-3: Opera ominia, Edit. cisterc. 4 [1966], 188-190.

%d blogueiros gostam disto: