By

Quinta-Feira Santa

A Desnudação dos Altares

Este cerimonial ocorre na Quinta-Feira Santa após a solene Missa, onde há incenso, flores e paramentos brancos, pois trata-se do dia da instituição da Santíssima Eucaristia. Mas a alegria não é nota dominante neste dia, pois, mesmo devendo ser este um dia de júbilo, ele não o é. Foi nessa mesma noite que o Senhor foi entregue, há quase dois mil anos. Poucos instantes após o rito de comunhão, o Santíssimo Sacramento será trasladado para o “monumento”, um receptáculo semelhante ao sacrário, que representa a prisão do Senhor. O cortejo que acompanha Jesus Eucarístico, na volta, já manifesta a profunda dor do luto que se aproxima. Os paramentos passam a ser negros e até mesmo a iluminação torna-se mas tênue tornando o ambiente profundamente sério e recolhido.

É nesta hora que se dá o desnudamento do altar. Acompanhado pelo canto recitativo dos salmos penitenciais de Davi, o celebrante recolhe a toalha do altar em sinal de dor, porque no próximo dia já não haverá mais missa: o Senhor está preso, e em breve será morto. As flores, os adornos e tudo que possa manifestar alegria são retirados do presbitério. As velas são apagadas, enquanto o crucifixo, coberto, é reclinado sobre o altar. Depois, o séquito litúrgico põe-se a caminhar grave e solenemente rumo à sacristia. Assim dá-se início ao Tríduo Pascal.

Qual é o simbolismo desse ato litúrgico? Representar as duas vezes em que Nosso Senhor foi despojado de suas vestes: na flagelação e na crucifixão.

Na flagelação Ele foi  despojado de suas vestes para ficar somente com o tecido que o cobriria da cintura até os pés.  Por fim, após todos os tormentos já passados, era chegado o momento da crucifixão. O Homem-Deus novamente seria despojado de suas vestes, e aquela túnica, segundo a tradição confeccionada por sua Santíssima Mãe, foi posta à sorte entre seus algozes, cumprindo com mais uma das profecias sobre a paixão (Sl 21).

Explicado o simbolismo da cerimônia na Quinta-Feira Santa, cabe-nos ter em mente que Nosso Senhor Jesus Cristo padeceu todos esses sofrimentos por cada um de nós. Se assim o fizermos, não seremos daqueles que apedrejavam Nosso Senhor, mas sim, um consolo para Ele que, do alto da Cruz, viu as fidelidades e as infidelidades de todos os homens até ao fim do mundo, e por elas se alegrou ou entristeceu.

———

Saiba mais sobre o horário das Cerimônias de Semana Santa na Sede dos Arautos do Evangelho em Recife; clique aqui!

One Response to Quinta-Feira Santa

  1. Sergio Souza says:

    Esta é a nossa fé! Impossível abandonar a Fé Católica depois de mergulharmos na liturgia do Tríduo Pascal!

Por favor, deixe um comentário