By

Imaculado Coração de Maria: ternura daqueles que Vos invocam!

08 de junho de 2013

          Ao recitarmos a Ladainha do Imaculado Coração de Maria, nos deparamos com esta sublime invocação: ternura daqueles que vos invocam. Uma das características da devoção que devemos tributar a Nossa Senhora consiste sem dúvida em ser terna. Entretanto, a devoção não se faz só de ternura, de efusões sentimentais e efetivas. Para ser sólida, é preciso que se funde em conhecimentos precisos, exatos, lógicos. Só da Verdade bem conhecida pode sair o amor durável e sincero. A piedade deve ser firmada no estudo da doutrina católica. É aí que ela há de encontrar seu melhor fundamento, sua verdadeira raiz.

Devo ter eu devoção a Nossa Senhora?

         Para salvar as almas dos pobres pecadores, “Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração” – dizia a Santíssima Virgem na aparição de 13 de julho de 1917, ao tratar do cerne de sua mensagem. Porém, não foi esta a única ocasião em que Nossa Senhora se referiu à importância dessa devoção. Mencionou-a diversas outras vezes nas suas mensagens, e tal insistência não pode deixar de ser seriamente considerada.

           Quem se tomar de verdadeiro e sincero amor por essa boa Mãe, puríssima e inigualável, e pôr em prática a devoção ao seu Imaculado Coração, será favorecido por seu contínuo amparo. Por maiores que tenham sido os pecados cometidos, Nossa Senhora intercederá pelo fiel devoto junto a seu Divino Filho, obtendo-lhe todas as graças de emenda de vida e perseverança no bom caminho. A devoção ao Imaculado Coração de Maria é, portanto, um dos principais remédios para a ruína contemporânea.

(arautos.org)

Cristo Jesus e Maria Santíssima: Um só Coração e uma só Alma!

                    O povo brasileiro entende com facilidade que alguém se consagre ao Sagrado Coração de Jesus. E isso tem sido feito com frequência em muitos seios familiares. Contudo, é pouco frequente, sobretudo em meios não Católicos, que se compreenda uma consagração ao Coração de Maria. Poderá até haver pessoas que vejam isso como um paradoxo. Como pertencer ao mesmo tempo a dois senhores, obedecer a dois corações? Uma consagração não será contraditória a outra?

                Não pode haver algo de mais incoerente. A consagração ao Coração de Maria é um complemento da que se faz ao Coração de Jesus; não é um complemento qualquer, mas sim, um complemento precioso e admirável.

            O Coração de Maria é a morada do Coração de Jesus. O Evangelho nos narra que: Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração. (Lc. 2,19) Portanto, no Coração de Maria a Palavra de Deus encontrou abrigo. A  união entre Eles é tal, que São João Eudes afirma  que os dois Corações são na verdade um só. Então, nossa oração deveria ser a seguinte: Sagrado Coração de Jesus e Maria! Rogai por nós que recorremos a Vós!

          Toda a piedade mariana está posta sobre está verdade fundamental de que Maria é a medianeira universal de todas as graças. Jesus veio ao mundo através de Maria e é por meio Dela que vamos até Ele.

          O grande São Luiz Grignion de Monfort afirma em seu “Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem” que: Se a Devoção à Santíssima Virgem nos afastasse de Jesus Cristo, deveríamos repeli-la como uma ilusão do demônio. Mas muito pelo contrário, como já o fiz ver e voltarei a mostrar mais adiante, esta devoção é-nos indispensável para encontrar perfeitamente Jesus Cristo, para O amar ternamente e servir com fidelidade”.

          Com efeito, pronunciar um ato de consagração é fácil. Consagrar-se sinceramente, inteiramente, a fundo, é muito mais difícil. Para conseguirmos as condições necessárias para uma perfeita consagração a Nosso Senhor nada mais perfeito, mais seguro, mais útil do que consagrarmo-nos a Maria Santíssima! “Pois esta é a vontade de Deus, que quis que recebêssemos tudo por Maria. Se, pois, temos alguma esperança, alguma graça, algum dom salutar, saibamos que nos vem d’Ela” (São Bernardo).


Por favor, deixe um comentário