By

Santo do Mês – Pio IX

 história

 7 de Fevereiro de 2011

Papa Pio IX

      O Papa Pio IX nasceu na Itália aos 13 de maio de 1792. Seus pais pertenciam à nobreza local e o batizaram com o nome de Giovanni (João) Maria Mastai Ferretti. Em 1809, transferiu-se para Roma a fim de continuar os estudos, sem ter se definido pelo sacerdócio.

      Foi ele quem mais longamente reinou na Igreja: 32 anos.

      A ele devemos a proclamação do Dogma da Imaculada Conceição, e a convocação do Concílio Vaticano I. Com Pio IX terminaram os Estados Pontifícios e a difícil relação política com a Itália, mais tarde restabelecida por Pio XI e completada, há pouco, por João Paulo II.

      Muitas vezes não entendemos os desígnios de Deus. Mas sempre acabaremos por descobrir que são desígnios de amor, de bênçãos e de paz para todos nós.

      Os católicos do século passado, os maus católicos, relaxados, não queriam que se definisse o dogma da Imaculada Conceição. Os bons o queriam. E Pio IX, que foi um grande Papa, definiu o dogma da Imaculada Conceição.

     Daí vem a conhecida oração: “Ó Maria Concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”. É uma linda jaculatória. Pela pureza inconcebível dEla que nós nem chegamos a excogitar, pedir que nos dê a integridade da pureza, da fé, e de todas as qualidades que Ela teve.

      A festa da Imaculada Conceição significa muitíssimo para a Igreja Católica.

O que quer dizer a Imaculada Conceição?

      Quando Adão e Eva pecaram, o gênero humano era constituído só por eles dois; não havia ainda outros homens e mulheres. E por causa disso, o pecado de Adão e Eva foi um pecado de todo o gênero humano. Isso nos dá uma explicação de como pode todo o gênero humano estar comprometido nesse pecado de Adão e Eva, ainda que nenhum de nós o tenha cometido pessoalmente.

       Esta explicação também nos dá uma ideia de que todos os homens depois do pecado original foram nascidos de pecadores; e como nascidos de pecadores, não poderiam ser imaculados. Isso porque o pai maculado(sem mancha) e a mãe maculada não podem ter filhos imaculados. O efeito tem as qualidades da causa. O filho tem os defeitos e algumas qualidades de seu pai.

       Ora, todos nós fomos concebidos no pecado original. E por causa disso muitas conseqüências sobrevieram para o gênero humano.

As consequências do pecado original

       Por exemplo, nós nos tornamos submissos à morte, quando por disposição de Deus o homem era sobrenaturalmente preservado da morte antes do pecado original. O homem está submetido às doenças e antes do pecado original não as tinha. O esforço cansa o homem, causa-lhe uma dor que se chama cansaço, que ele não tinha anteriormente.

       A mulher quando tinha seus filhos não os tinha com dôr, e sim, os gerava, os dava à luz com alegria. A mulher ficou submetida ao marido numa espécie de servidão, devido ao pecado original. Etc, etc.

A consequência mais grave

      Mas o mais grave de tudo não é nenhuma dessas consequências. É que se estabeleceu um desastre interno no homem. A razão indica ao homem os caminhos a seguir, mas os desejos indicam outros, fazendo-lhe oposição. Há então um conflito interior no homem. E esse conflito o faz sofrer tudo que ele tem que sofrer, para praticar a virtude.

      Considere tudo que os santos sofreram para praticar a virtude e aí se pode ver bem o que esse conflito interior significa. Você mesmo pode sentir em sua própria carne como é difícil praticar a virtude.

      Ainda que você seja tão jovem, a dificuldade em praticar a virtude é bem grande.

      É preciso pedir auxílio à Virgem Maria e por meio dEla a Deus Nosso Senhor, para se ter forças para praticar a virtude. Se não é assim, não se pratica. Essa é a verdade.

A Virgem Maria foi concebida sem pecado original

      Quando São Joaquim e Santa Ana A geraram, desde o primeiro momento de sua existência Nossa Senhora não teve pecado original. Esta lei Deus a suspendeu nEla por uma vontade onipotente, e assim Ela não ficou sujeita a nenhum dos efeitos, nem à dôr, nem à morte, nem à nada. Tudo, tudo, lhe foi dado de modo a que não sofresse as consequências do pecado original.

      Nela tudo era harmonioso e belo. E sem esforço, porque toda a sua personalidade era voltada à virtude. Ela não estava sujeita às tentações a que nós estamos sujeitos. Ela poderia ter sido tentada, mas não era essa tentação em que a vontade fica dividida. É como uma pessoa a quem um mau amigo faz um convite para o mal e que não fica nem um pouco seduzido. “Vá embora, fulano. Não quero saber disso!”

Assim foram as tentações do demônio à Santíssima Virgem Maria.

      É muito mais agradável pensar nisso assim, do que pensar em Nossa Senhora com inclinações para o mal e combatendo-as. Não é pensável. É a Mãe de Deus! Não, por favor! Essa é uma maneira sumária de ver a Imaculada Conceição.

       Em virtude disso o demônio foi esmagado, porque ele havia arrastado todo o gênero humano ao pecado, arrastando o primeiro casal que existiu.

       Quando Deus suspendeu a lei do pecado, suspendeu para Nossa Senhora e para a humanidade santíssima de Nosso Senhor Jesus Cristo. É natural. Uma mulher, a Mãe, e um homem, o Filho, começaram uma nova humanidade, espiritualmente. Porque depois que Nosso Senhor morreu na Cruz foi possível aos homens entrarem no Céu; os homens receberam uma torrente de graças. Inclusive no momento em que vocês estão lendo este artigo, todos nós recebemos graças. É por causa disso que chegaremos a nos salvar.

O sofrimento de Maria Santíssima

        A Virgem então não sofreu? Sofreu mais do que todos . E não foi por causa do pecado, nem do cansaço, nem da geração e nascimento de Nosso Senhor. O Natal de Seu Filho foi sem nenhuma dor, foi suavíssimo. A causa de seu sofrimento foi a Paixão de Jesus Cristo. Ela é chamada de Mater Dolorosa(Mãe Dolorosa) porque sofreu mais do que todas as mulheres da história, não em razão de pecados seus, que Ela não os teve.

Por favor, deixe um comentário